Herança

Houve uma vez duas mulheres 
Que nunca se conheceram; 
De uma tu não te lembras, 
"Mãe" é o nome que à outra deram. 
Uma deu nacionalidade, 
A outra o nome te deu; 
Uma deu do talento a semente, 
A outra um rumo proveu. 
Duas vidas distintas se moldaram 
Para única a tua fazer; 
Uma foi a estrela que te guia, 
A outra o teu sol quis ser. 
Uma te deu emoções, 
A outra teus medos calou; 
Uma viu teu primeiro sorriso, 
A outra tuas lágrimas secou. 
A primeira deu-te a vida 
E a segunda a viver ensinou; 
A primeira deu-te a carência de amor, 
E a segunda, para supri-lo, ali ficou. 
Uma te entregou, 
Foi só o que pôde fazer; 
A outra orou por um filho, 
E Deus a ti lhe fez ver. 
Em lágrimas me perguntas agora 
À antiga e séria questão: 
Hereditariedade ou onde se mora: 
Qual fez de mim o que sou, então? 
Nenhum deles, meu querido 
Apenas o calor de dois diferentes tipos de AMOR.

0 comentários:

Postar um comentário