Motivação para Adoção.


O que faz você procurar por adoção? O que significa tornar-se pai ou mãe por adoção? As pessoas podem estar dispostas à adoção por diversos motivos.


principal-motivacao-para-querer-adotar-deve-ser-a-vontade-de-ter-filhos
Os motivos que levam as pessoas desejarem ser pai ou mães adotivos são muitos! De um modo geral, tornar-se pai ou mãe é função inerente ao ciclo da vida: nascemos, crescemos, reproduzimos, aprendemos, ensinamos e morremos. A princípio, homens e mulheres são preparados biologicamente para gerar um filho. Sobre esta matriz biológica se somam inúmeras outras razoes que podem reforçar a necessidade de se ter um filho. Assim, você pode desejar ser pai ou mãe também devido a crenças sobre família ou exigência sociais.
Geralmente, o primeiro caminho a se trilhar é tentar uma gravidez. Entretanto, por inúmeras razões, às vezes, a gravidez não ocorre, mesmo que diferentes métodos sejam utilizados. Para muitas pessoas, é neste momento que a possibilidade da adoção aparece como alternativa à paternidade ou maternidade biológica.
Algumas motivações para elaboração do projeto adotivo podem estar relacionadas com condições biológicas importantes:
  • Homens ou mulheres são inférteis ou estéreis.
  • Uma gravidez poderia gerar risco para saúde e para a vida da mulher ou criança.
  • Receio de gerar um filho com deficiência ou de risco genético de vido a histórico familiar ou orientação médica.
Ressignificar as perdas e o luto próprios dessas condições são fundamentais para elaboração de um projeto adotivo responsável e saudável!
Para outras pessoas, tornar-se pai ou mãe por adoção é uma decisão que independe de possuir ou não filhos biológicos.
Há pessoas que tem, desde muito pequenas, o desejo de constituírem uma família que sejam organizadas em torno de um filho. É um sonho ser pai ou mãe! Será nesses papéis que a pessoa exercerá as funções de cuidado, de projeto, de amor, de educação de um outro ser.
11037341_1413405912304652_5400477151808431921_n
Você com certeza, já sofreu algumas pressões sociais. É comum perguntar a um solteiro quando ele irá encontrar um namorado. Quando esse inicia um namoro, começam a questionar quando será o casamento. E quando esse ocorre, iniciam-se às solicitações pelo filho do casal. Vivemos em uma sociedade que parece acreditar e valorizar que uma família é completa somente quando o núcleo familiar é composto também por crianças. Sempre falta algo… e isso não é verdade! Você poderá ser feliz sozinho, com um companheiro, com ou sem filhos! Assim, avalie se sua motivação tem influencia de exigências sociais e quais as implicações dessas para o seu projeto adotivo.
Repense suas motivações, se elas revelarem que desejar um filho é porque você tem medo da solidão, quer companhia e cuidado na velhice, deseja deixar sua herança patrimonial, substituir o lugar de um filho falecido ou se o casamento estiver em crise e essa parecer ser uma solução para seus problemas.
Se você tem um companheiro (a), o projeto adotivo precisa ser compartilhado, uma vez que assumir um filho mudará a vida a dois, ambos devem estar disposto à exercerem novos papéis, ser pai e ser mãe.
Tornar-se pai ou mãe deveria ser sempre uma escolha responsável, consciente e sensível, pautada no desejo de oferecer cuidado, proteção, referencias, afetos e condições para o desenvolvimento saudável de um filho. O processo adotivo é o encontro de necessidade e desejos de adultos e de uma criança ou adolescente que não pode permanecer com sua família de origem.
“Adotar é reconhecer no filho gerado por outro, nosso filho. Olhar em seus olhos à procura não de uma cor conhecida, um formato herdado, mas o brilho do olhar de quem é amado e reconhecido como único”. (Gabriela Schreiner).
Two Hands
Converse com familiares, amigos que já adotaram e com a equipe técnica da vara da infância sobre suas motivações para tornar-se pai ou mãe! Isso é muito importante!

Fonte: Texto retirado da Cartilha do CEJA-ES.

0 comentários:

Postar um comentário